Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Showcase


Channel Catalog


Channel Description:

Telefones: 99901.0414 / 98123.5945E-mail: oab.rs.advogadoprates@gmail.comBarão do Ladário 1836 - Santiago -RS

older | 1 | .... | 214 | 215 | (Page 216) | 217 | 218 | .... | 247 | newer

    0 0

    Ao tomarmos um raciocínio como verdadeiro, absoluto, dogmático e único, estabelecemos as premissas que julgamos ser universais. Bem, o absoluto, é o ponto de partida para a reflexão em cima de qualquer construção discursiva.


    O discurso deísta, assim como o discurso ateísta, parte do pressuposto de que suas verdades são únicas, absolutas, dogmáticas e verdadeiras. Assim ocorre com os espíritas, com qualquer credo e qualquer não-credo, pois o próprio ateísmo é um credo, assim como o agnosticismo.


    A morte é absoluta?


    Eu diria que, hoje, é. Dependendo do enfoque. Meu corpo vai ficar, a vida vai sair. Mas o que sai do corpo?


    É claro. Todos logo têm a resposta na ponta da língua. A alma. O espírito.


    Muito bem.


    O pós morte é o começo de toda a fantasia. E tudo com direito a alegorias, seja na versão espírita, seja a visão de vida eterna com o céu e o inferno ... tem até um estágio no purgatório. Até hoje não entendi bem se o purgatório é uma ante-sala do céu ou do inferno. É como um estágio probatório da alma. Já Stephen Hawking, o nosso deus do ateísmo, assegura que após a morte vem o breu. O nada.


    Sou dado a estas reflexões. Volta e meia ocorre-me uma certa realidade paralela. Eu vivo sozinho, isto é público. Mas vivo sonhando que existe um monte de gente ao meu redor. Não sei se é sonho, não sei se é uma realidade paralela, acho que ainda vamos levar um tempo para entender nosso cérebro.


    Não entendo como é a questão da consciência no espiritismo. Mas é uma versão bem interessante, pelo menos não é tão monótona como a vida eterna. Imaginem que castigo viver para sempre. 

    Eu noutro corpo, até não é má ideia.


    Pela versão espírita, sou uma alma reencarnada.


    Pela versão deísta, sou uma única alma.


    Quem tem razão nisto tudo?


    Eu mesmo respondo: ninguém.


    O ideal seria morrer e voltar para contar a história. Mas até hoje isto não aconteceu. E então vamos indo. Caminhando e cantando, cada qual com sua versão. Cada qual com sua crença, cada qual com sua ilusão.


    Meu sonho era morrer e poder voltar, nem que fosse para fazer uma postagem, breve e rápida, fazendo um pequeno relato sobre como é a vida do outro lado.


    Se existir; e o Hawking não tiver razão.


    Do contrário, terá sido tudo em vão.












    0 0



    0 0

    Hoje aniversariam duas mulheres pelas quais tenho um grande afeto. A Alessandra, que hoje assessora o Rafael, querida amida, é uma pessoa fantástica, admirável. Não quero aqui abordar nada de política, mas Alessandra é um raro exemplo de mãe. Abriu mão de tudo em sua vida para se dedicar ao exercício da maternidade. Foi de uma grandeza ímpar, um caso raro, assumiu sua filha e dedica sua vida a ela, mesmo que isso tenha implicado em sacrificar a sua própria história, seus compromissos e sonhos. É um dos casos de maternidade raros que eu conheço. Ademais, é uma mulher honrada, não é destas que vive se fresqueando, não é deslumbrada, sabe se portar na sociedade. É uma grande mulher, é uma grande mãe e sua vida é um monumento à dignidade da condição de mulher que presta e têm valores. 

    No dia do seu aniversário, não poderia furtar-me deste reconhecimento e nem deste registro. 


    Quem também nasceu neste dia, é minha querida amiga Priscila Muller, casada com o Taner, mãe do João e filha do meu querido amigo Eugênio Muller. Eu não sabia da existência da Priscila, embora fosse amigo do seu pai, no tempo dos dinossauros. Até que um dia ela me procurou, acreditem, querendo saber de um veterinário para tratar de um cachorrinho de rua. 

    Como vi que era uma bióloga, logo imaginei que era amiga da Eliziane e não quis responder. Passaram-se dois meses e ela voltou a falar comigo. Aí percebi que ela estava mesmo atrás da solução para a doença de um cachorrinho. Ficamos amigos, ela soube a minha história, ela sabia alguma coisa, era amiga da outra ...

    ... no fim quase morri.

    Mas Priscila é de um berço fantástico. Tem um coração imenso, bondosa, muito bondosa, não nasceu para viver neste mundo, é uma alma livre num corpo preso nas amaras das instâncias morais. Teve prudência para dar os passos certos, sempre amou seu esposo, sempre amou seu filho e também abdicou de tudo para ser mãe, mesmo sendo mulher. Este dilema nietzsciano dela é de todas as jovens mães. Aí cabe a ponderação, o equilíbrio e a razão, justamente para preservar a integridade física e psíquica daquele ser que geramos: nossos filhos. Ela, foi o filho dela.

    Outro dia eu tive que discordar de minha psicóloga e sou - muitas vezes - incompreendido. Para mim, não basta ser mãe para ser Mãe. Existem mães que são piores que cadelas de rua e seus futuros estão inscritos na história da blasfêmia, mesmo que elas não tenham alcance e consciência da podridão de suas vidas, nem de como enlamearam e destruíram a integridade psíquica dos seus filhos e filhas. 

    Portanto, para mim, ser mãe não é parir e nem ser pai um ato ejaculatório. É muito além disso. É gerar e gerir o destino para a vida e o mundo, com valores.

    Priscila é, na minha opinião, a mulher mais admirável de São Francisco de Assis. Esforçada, batalhadora, incansável, mesmo nas horas mais tristes, sempre tem um sorriso, uma palavra de afeto, uma expressão de carinho. Ela tem todo o meu reconhecimento. 

    A vida é cheia de mistérios. 

    Dia 14 de dezembro de 2016 eu teria uma audiência em Itaqui. Caso Nina. Peguei o carro, um pen-drive com músicas sacras e Bach ao cravo; e pus-me na estrada, sem pressa. Adoro viajar a noite. Foi uma viagem tranquila. Serena. Estava sem sono. Aqui chegando, fui numa loja de conveniências e saí, no lusco-fusco que separa a claridade do dia que emerge com a noite que se esvai e fiquei a admirar a beleza da arquitetura daqueles velhos casarões e prédios abandonados. É algo raro, Itaqui tem uma beleza esplendorosa, talvez poucos consigam captar o que eu capto. Meu coração palpitava ante a beleza de tantos prédios lindíssimos, arquitetura arrojada, plasticidade rara ... senti que ali ficava uma parte de mim para sempre. 

    Eu conheço muitas cidades do Brasil, outras tantas de outros países. Mas existe uma mágica, algo inexplicável, que é o bem que o local nos proporciona. Isto é espiritualidade. É além da razão, é um amor muito forte, muito sublime. É uma descoberta, é um encanto. 


    Hoje acordei cedo, muito cedo, quis reviver todas as emoções daquele 14 de dezembro de 2016. A cidade estava vazia. Um que outro carroceiro. Um pescador solitário. Um barquinho. Na orla do rio, casinhas humildes, algumas chaminés ainda largando uma rara fumaça. O cenário é bucólico. Mas meu coração estava em festa, contemplativo, feliz.

    Depois de rodar e rodar, e rodar e rodar, inclusive de deixar uma viatura da Brigada atônita, com o sol tomado vulto de primeiros raios escassos entre nuvens, decido voltar ... A camionete é grande demais e arranho um lado na estreita garagem. Pouco me importo. 

    Abro as portas. Subo. Vou na geladeira, tomo um suco de uva. A porta do quarto estava fechada. A TV ainda estava na Globonews. Fico em dúvidas entre deitar ou voltar para a sala. Abro a porta do quarto. Lençóis de cetim cinza-prata claros ... Deitei-me suavemente. 

    Depois de tudo, não durmo mais. 

    Fico no computador. 

    Descubro o aniversário da Alessandra e da Priscila. 

    Não sei como a amo tanto, de onde vem tanta afeição. 


    Devem ser nossas almas errantes. Mas procuramos ser certinhos. Nunca consigo esquecer-me de Gaston Bachelard e suas instâncias morais. Foda-se, hoje sou mais Wilhelm Reich. Nunca somos uma coisa só. Basta pensar. Somos uma conjunção e uma herança de valores. Eu estou aqui, mas coração já viajou, em busca do impossível, dos sonhos, ensaios e vôos frustrados. 

    Mas vou seguir voando...

    Minha carteira de moto venceu de 1992. Agora, com minha filha completando 7 anos, decidi renová-la. Vou voltar a andar de moto. Sentir o vento no rosto, o prazer da liberdade, o voo impossível, a arte ... nessa semana começo a fazer todos os procedimentos outra  vez ... na auto-escola...eu que fui motoqueiro por tantos anos nesta vida. 

    Tenho tantas estradas para percorrer. 


    0 0
  • 03/26/17--22:45: Outro viés
  • O fracasso retumbante das manifestações convocadas pela direita golpista para este domingo, evidenciam o que tenho dito há tempos; Temer, PMDB e PSDB são os melhores aliados do PT. Estão jogando a vitória da eleição de 2018 no colo de Lula. 

    Não vai precisar nem fazer campanha. 

    Se eu fosse petista, eu deixava que eles seguissem seu rumo, ralam os pobres com a reforma da previdência, ralam os pobres com a reforma trabalhista, passam a cobrar mensalidades nos IFETs e nas universidades federais, privatizam até os banheiros públicos e vamos para a eleição. Eleição?

    Que eleição?

    Temer, Moro e a mídia paulista, se encarregaram de ressuscitar o PT.  É claro que o PT tem ladrões, mas também tem ladrões no PP, no PMDB, no PSDB ... Por causa dos desvios de alguns, o MPF tentou generalizar e sustentar que o PT é uma organização criminosa. 

    Os petistas que eu conheço, aqui na base, é que tem de melhor, gente pura, limpa, honesta, gente decente ... em São Francisco de Assis, nem se fala, lá tem a coisa mais linda do mundo. Honesta igual ela só ela mesmo. É claro os petistas estão revoltados. As pessoas limpas, decentes, que vivem da dignidade do seu trabalho, estão revoltadas e existe, hoje, uma verdadeira explosão político-ideológica no país. É uma situação pré-revolucionária popular. Se isto tomar corpo, ou vamos viver uma revolução dos cravos ou um grande banho de sangue.

    O ódio contra os políticos é notório...salvam-se poucos. O ódio contra o judiciário é injustificado, mas agora não adianta, o povo pobre elegeu o juiz Sérgio Moro como seu inimigo número um e enquadrou todo o judiciário. O STF corre o sério risco de ser fechado num situação de eclosão de massas, como foi na revolução russa de 1917. O problema é que tanto a direita de Bolsonaro quanto a esquerda de Zé Dirceu querem a cabeça do poder judiciário. Os políticos são descartáveis. 

    A convocação de uma grande mobilização de massas pode gerar o imprevisível. É claro que a esquerda tem seus setores armados, só alguém muito ingênuo para pensar diferente. Eventual prisão de Lula daria a convulsão social ...e um banho de sangue. Esta é a mais dura realidade. 

    A direita tem dinheiro, mas não tem líderes com penetração e apelo popular. Só quem pode ainda fazer um enfrentamentozinho com Lula é Marina e mesmo assim, hoje, enfraquecida. PSDB e PMDB estão atolados. 

    A radicalização dos dois lados é notória. Nunca houve um acirramento assim tão forte em nossa história recente.

    A situação é de um barril de pólvora, basta alguém acender o estopim.

    0 0

    Eu já estou desde ontem a noite com o IP de um fake criado no Capão do Cipó; sei, inclusive quem é o autor das postagens. O nome do fake (perfil falso) é Marcos Rigon. 

    Como tão logo após nosso pessoal ter identificado o IP, descobri quem é autor, a pessoa física do Capão do Cipó, um covarde anônimo, que vai responder por todos os seus crimes, especialmente por envolver minha filhinha (e minha ex-esposa) e as demais pessoas acusadas sem provas, inclusive, no exercício da função pública, o que aumenta a pena pelos crimes cometidos no anonimato.

    A existência de gente pueril, que não tem coragem de assumir seus atos, não me surpreende. Agora, me surpreende não terem escrúpulos ao envolver uma criança de 6 anos, que é o caso da minha filhinha. 

    Também não adianta este covarde deletar suas postagens nojentas, pois temos cópia de tudo de pedimos cientificação das autoridades ainda na noite de ontem.

    Eu não faço conciliação com ninguém, seja quem for o dono do IP utilizado. Ambos, vão responder perante a Justiça do nosso país. 





    0 0

    Sinceramente, certas posições tomadas de forma genérica, sem conhecimento do fato social, acabam por ser improdutivas e pouco convincentes.

    Há muitos anos a terceirização, recentemente aprovada pela Câmara dos Deputados, é adotada em Santiago.

    Estas cooperativas de mão-de-obra, a do Fábio Monteiro, Presidente do PDT, por exemplo, que foi liderada pelo Tide Lima, ex-presidente do PT, a empresa do Pierre Leal ... enfim, existem dezenas destas atuando em Santiago, são fornecedores de serviços.

    A URI e a Prefeitura de Santiago há anos adotam terceirização de diversos serviços, faxina, limpeza, vigilância, capina, manutenção de pátios, temos até duas empresas fornecedoras de mão-de-obra da construção civil terceirizada. 

    Novidade?

    Talvez para a esquerda desinformada. 





    0 0
  • 03/28/17--13:16: Horácio Brasil deixa o PP
  • A notícia caiu como uma bomba no PP e na política regional.

    O ex-prefeito Horácio Brasil já assessora Cajar Nardes e será candidato a deputado estadual pelo PR. 

    Isso tem implicações locais: Bianchini não vai mais o PR, o PP perde um quadro e isto complica a situação de Ruivo e Bianchini, pois mesmo que não queira, Horácio tira votos de ambos dentro de São Francisco de Assis e região. 

    Em Porto Alegre, o ex-prefeito de S.F. de Assis está morando na casa do conselheiro Marco Peixoto. 



    0 0

    Isso esta esquerda burra não entende:

    Opinião, Paulo Vellinho - As duas castas

    A primeira delas habita o andar de cima; a segunda o andar de baixo.

    Na primeira - Setor público, 3,7 milhões de aposentados e pensionistas, custam 156 bilhões de reais.



    Na segunda - setor privado, 29.2 milhões, custam 150 bilhões de reais.



    Calculem a abissal diferença na média mensal de cada um.


    O corporativismo destruiu o País !


    0 0

    Eu tenho feito algumas experiências pessoais de programas de vídeos, mas vídeos breves de 3 ou 4 minutos e visando cotejar as teses de especialistas. Márcio Carvalho, o maior especialista neste assunto, na atualidade, da Fundação Ulysses Gimarães, tem uma tese te que um vídeo postado no facebook é assistido por 5% dos amigos. 

    Como eu tenho apenas 1.490 amigos, não chega a 1.500 é natural que minhas visualizações chegassem, inicialmente, a 70 visualizações, a levar em conta a cifra do especialista. 

    Lançamos a experiência e houve um agradável surpresa. No primeiro áudio meu, dos 1.490 amigos, tive 418 visualizações. No segundo, o índice se aproxima disto, mas a repercussão já é sentida, seja na Assembléia Legislativa do Estado, no Poder Judiciário Estadual, inclusive com a curtida da visualização pelo alto Magistrado do TJ-RS Dr. Vanderlei Deolindo. 

    O Dr. Ruy Gessinger, espalhou entre nossa turma de confraria, especialmente da comunidade de juízes e desembargadores, que não usam o facebook. Mas o vídeo circulou entre estes e as reações são extremamente positivas.

    Nesta madrugada larguei uma reflexão totalmente diferente, abordando o controle da informação na sociedade do conhecimento a partir do advento da telemática surgida no bojo da revolução da cibernética. Na noite desta quinta-feira terei uma noção das reações.

    De qualquer forma, são testes extremamente limitados que estou fazendo, reduzidos a pequena comunidade de amigos que tenho no facebook, mas cujos resultados de visualizações são extremamente encorajadores para nós que estamos trabalhando num projeto maior e de grande impacto. Inclusive, um projeto caro, mas bancado com recursos próprios e com tudo sendo comprado a vista.


    0 0


    Em decisão unânime, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu a ocorrência de dano moral coletivo causado aos consumidores de Cuiabá por um posto de gasolina, em decorrência de propaganda enganosa e concorrência desleal.

    De acordo com o Ministério Público, o posto ostentava uma marca comercial, mas adquiria e vendia produtos de outras distribuidoras de combustível, “sem que o consumidor fosse de tal fato devidamente avisado e, muito provavelmente, sem que o preço cobrado do destinatário final refletisse o valor menor de compra”. A prática é conhecida como infidelidade de bandeira.

    O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) rejeitou o pedido de indenização por danos morais coletivos sob o fundamento de que “o suposto incômodo decorrente da venda de combustível de outras bandeiras não implica necessariamente risco de dano moral à coletividade, mas apenas a reparação de prejuízos a interesses individuais homogêneos”.

    Valores constitucionais
    No STJ, o entendimento foi outro. Para o relator, ministro Luis Felipe Salomão, o objetivo da ação civil pública não visou o ressarcimento de eventuais danos causados àqueles que adquiriram o combustível, mas sim a proteção de valores constitucionais, como o princípio da defesa do consumidor, da confiança, da boa-fé, da transparência e da equidade nas relações de consumo.

    “Sobressai a difícil (senão impossível) tarefa de indenização dos consumidores que acreditaram na oferta viciada e, em detrimento de sua liberdade de escolha, efetuaram a compra do produto de origem diversa daquela objeto da expectativa criada pelo revendedor do combustível”, afirmou o ministro.

    Dano presumido
    Segundo Salomão, é possível o reconhecimento do dano moral coletivo in re ipsa, ou seja, presumido a partir da constatação da existência do fato.
    “A meu juízo, a infidelidade de bandeira constitui prática comercial intolerável, consubstanciando, além de infração administrativa, conduta tipificada como crime à luz do código consumerista (entre outros), motivo pelo qual a condenação do ofensor ao pagamento de indenização por dano extrapatrimonial coletivo é medida de rigor, a fim de evitar a banalização do ato reprovável e inibir a ocorrência de novas lesões à coletividade”, concluiu Salomão.

    O valor indenizatório por danos morais coletivos foi fixado em R$ 20 mil, a serem revertidos ao fundo previsto no artigo 13 da Lei 7.347/85.
    Fonte: STJ


    0 0

    Esta decisão tem forte impacto em todo a nossa região e atinge, indistintamente, o recolhimento do INSS de todos os empregados (e por extensão os empregadores). As empresas recolhiam o INSS sobre o salário ou salário base. É necessário saber a diferença entre salário e remuneração. 


    Empresa é obrigada a recolher contribuição previdenciária sobre remunerações do empregado, decide STF


    “A contribuição social a cargo do empregador incide sobre ganhos habituais do empregado, quer anteriores ou posteriores à Emenda Constitucional 20/1998”. Essa tese de repercussão geral foi fixada pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 565160, desprovido pelos ministros, por unanimidade dos votos. A matéria constitucional, com repercussão geral reconhecida, envolve quase 7.500 processos semelhantes que atualmente estão sobrestados nas demais instâncias.

    No recurso, a Empresa Nossa Senhora da Glória Ltda. pedia que fosse declarada a inexistência de relação tributária entre ela e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com o objetivo de não ser obrigada a recolher a contribuição previdenciária incidente sobre o total de remunerações pagas ou creditadas a qualquer título aos segurados empregados – conforme artigo 22, inciso I, da Lei 8.212/91, com alterações impostas pela da Lei 9.876/99 –, mas somente sobre a folha de salários.

    A empresa pretendia que a contribuição previdenciária não incidisse sobre as seguintes verbas: adicionais (de periculosidade e insalubridade), gorjetas, prêmios, adicionais noturnos, ajudas de custo e diárias de viagem (quando excederem 50% do salário recebido), comissões e quaisquer outras parcelas pagas habitualmente, ainda que em unidades, previstas em acordo ou convenção coletiva ou mesmo que concedidas por liberalidade do empregador não integrantes na definição de salário, até a edição de norma válida e constitucional para a instituição da mencionada exação.

    O pedido englobou, ainda, o reconhecimento de crédito nas importâncias recolhidas a título de contribuição previdenciária a partir de abril de 1995 (competência março), garantindo o direito de compensação dos valores pagos indevidamente com parcelas da mesma natureza [contribuição] ou, na sua impossibilidade, de restituição a ser apurada em liquidação de sentença, com aplicação da variação da UFIR até o mês de dezembro de 1995 e da taxa Selic a partir de janeiro de 1996.

    Dessa forma, com base nos artigos 146; 149; 154, inciso I; 195, inciso I e parágrafo 4º, da Constituição Federal, o recurso extraordinário discutia o alcance da expressão “folha de salários”, contida no artigo 195, inciso I, da CF, além da constitucionalidade ou não do artigo 22, inciso I, da Lei 8.212/91, com a redação dada pela Lei 9.876/99, que instituiu contribuição social sobre o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas a qualquer título aos empregados.

    Desprovimento

    O relator, ministro Marco Aurélio, votou pelo desprovimento do recurso. De acordo com ele, os ganhos habituais do empregado são incorporados ao salário para efeito de contribuição previdenciária. De início, o relator afirmou que o artigo 195 da CF foi alterado pela EC 20/1998, que passou a prever que “a contribuição incide sobre a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados a qualquer título à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício”. No entanto, observou que a parte final não tem pertinência com a hipótese já que o pedido refere-se a valores pagos aos segurados empregados.

    O ministro salientou que antes da EC 20/1998, o artigo 201 [então parágrafo 4º e, posteriormente, parágrafo 11] passou a sinalizar que os ganhos habituais do empregado a qualquer título serão incorporados ao salário para efeito de contribuição previdenciária e consequente repercussão em benefícios, nos casos e na forma da lei. “Nem se diga que esse dispositivo estaria ligado apenas à contribuição do empregado, porquanto não tem qualquer cláusula que assim o restrinja”, ressaltou.

    Para o ministro Marco Aurélio, deve ser aplicada a interpretação sistemática dos diversos preceitos da CF sobre o tema. Segundo ele, “se de um lado o artigo 155, inciso I, disciplinava, antes da EC 20/98, o cálculo da contribuição devida pelos empregados a partir da folha de salários, esses últimos vieram a ser revelados quanto ao alcance, o que se entende como salários, pelo citado parágrafo 4º [posteriormente, 11], do artigo 201”.

    “Remeteu-se a remuneração percebida pelo empregado, ou seja, as parcelas diversas satisfeitas pelo tomador de serviços, exigindo-se apenas a habitualidade”, concluiu. Assim, ele considerou inadequado distinguir o período coberto pela cobrança, se anterior ou posterior à EC 20/98. O ministro observou que no próprio recurso menciona-se o pagamento habitual das parcelas citadas, “buscando-se afastar, mesmo diante do artigo 201, a incidência da contribuição”. Por essas razões, o ministro Marco Aurélio votou pelo desprovimento do RE, tendo sido acompanhado por unanimidade do Plenário do STF.

    Tese

    A tese firmada para fins de repercussão geral neste julgamento foi: “A contribuição social, a cargo do empregador, incide sobre ganhos habituais do empregado, quer anteriores ou posteriores à Emenda Constitucional nº 20 de 1998.”
    EC/CR
    Processos relacionados
    RE 565160
    Fonte: STF





    0 0

    Com todo o respeito que merecem os trabalhistas históricos, pessoas honradas que eu conheço, que partideco sem fundamento este PDT. 


    Imagimem: o Jairo Jorge brigou dentro do PT e entrou como candidato ao governo do Estado pelo PDT. 

    Isto soa piada e revela o lixo ideológico, desprezo aos quadros partidários ... é uma sigla de aluguel...assim foi com o Fortunatti, foi com o Lasier e agora a mesma novela se repete com o Jairo Jorge. 

    Será que não aprendem com os erros?

    Ou e burrice mesmo?

    0 0

    Fonte - Jornal Correio Braziliense



    A mulher do senador Lasier Martins (PSD-RS) afirma ter sido agredida pelo marido em
    meio a uma discussão, na última terça-feira. Com lesões aparentes pelo corpo, a jornalista Janice Santos prestou queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), na 204 Sul, e realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Ela acusa o parlamentar de lesão corporal e injúria, e diz que esta não foi a primeira vez que sofreu agressões de Lasier. O senador, por sua vez, nega as acusações e afirma que apenas “reagiu para se defender”, pois, segundo ele, Janice teria partido para cima com um objeto de metal. Além disso, o congressista alega que ela própria se feriu para forjar a situação.


    Janice contou que, mais de uma vez, foi xingada e humilhada pelo marido. “Dizia que eu era burra, que não entendia nada de política, apenas de moda”, além de chamá-la de “chantagista e paranoica”, segundo relato dado na delegacia. Em outra briga, logo após ela ter passado por um processo cirúrgico na barriga, ele teria chutado a região recentemente operada.


    Lasier Martins confirma que está em processo de separação e que ela quer “chantageá-lo” com “denúncias falsas”. “Ela partiu para cima de mim e eu apenas reagi para me defender, sem agredi-la. Ela mesmo se cortou e passou sangue em mim. Ela é louca. Está me chantageando por conta do divórcio. Não tenho dúvida de que a polícia vai apurar o caso e concluir que não fiz absolutamente nada”, argumenta.


    O relato do senador dá outra versão sobre o fato de a doméstica ter comparecido à Deam. “No dia da briga, ela saiu de casa e levou a empregada na delegacia. Mas a doméstica se recusou a ser testemunha, pois sabe que é tudo mentira. A funcionária lá de casa, inclusive, me procurou no meu gabinete para dizer que havia se recusado a mentir para a delegada. Ela estava no local e não viu nenhuma agressão, pois isso não aconteceu”, afirma.

    Antes de entrar na vida política, quando se elegeu senador na primeira eleição que disputou, em 2014, Lasier era um dos principais jornalistas da filial da Rede Globo no Rio Grande do Sul. Segundo o próprio contou em entrevistas na época em que anunciaram o início do relacionamento, ele a conheceu em Passo Fundo (RS), em 2012, quando esteve na cidade para mediar debates eleitorais. Janice era a âncora do Jornal do Almoço, o noticiário do meio-dia, da sucursal da emissora naquela região. O Correio entrou em contato com a advogada de Janice, que preferiu não comentar o assunto.


    0 0

    Se existe um campo nebuloso, difícil, complicado e que os especialistas não analisam com isenção, é o debate sobre a agressão física, psíquica do homem contra a mulher. E sejamos justos, também da mulher contra o homem.

    Hoje, a repercussão é mundial da suposta agressão do Senador Lasier Martins em face de sua esposa atual. A notícia está na mídia internacional, é só olhar os sites de outros países. Inocente ou culpado, Lasier já foi condenado. A pecha vai acompanhar-lhe para resto de seus dias. 


    Honestamente, quem tinha que escrever e falar sobre isto, em Santiago, é a Dra. Karine Peixoto, uma psiquiatra que lida com comportamento humano, tem a melhor formação aqui em nossa região, tem estudos melhor que ninguém, inclusive pós-graduação pela UFRGS. 

    O Brasil vive uma contradição com a Lei Maria da Penha. É uma lei altamente machista e que permite a mulher fazer uso dela sem direito de defesa do homem. É claro que esta lei é inconstitucional, o STF só cedeu a pressões feministas e a esta onda esquerdista tola que varreu o país.

    Dias atrás, o país linchou o cantor Vítor, que teria agredido sua esposa a chutes e socos. Também foi notícia internacional. Só a Xuxa saiu em sua defesa e os danos em sua carreira foram incomensuráveis. Hoje, todos sabemos a verdade, ele estava da caso com uma garotinha, a esposa dele grávida, descontrolou-se, perdeu a cabeça e inventou a história. Os danos, porém, só ele sabe e os estragos em sua vida nunca mais serão recuperados. Ela própria se desmentiu.


    Aqui em Santiago, tivemos o caso de uma grande celebridade, um músico famoso. Sua esposa fez uma ocorrência contra ele, ela ganhou medidas protetivas, ele foi afastado do lar, foi humilhado, achincalhado, alvo de comentários depreciativos nas redes sociais. 

    Só que ele provou sua inocência, tudo ficou provado que fora uma armação, ela foi condenada a pagar cestas básicas e até serviços comunitários.


    Quando a verdade veio à tona, ninguém falou nada. As pessoas só falam e divulgam aquilo que denigre a pessoa. Somos assim. As pessoas não gostam de ler algo agradável ou divertido, gostam é de morte, brigas, sangue e tragédias. 

    As relações e o desejo sexual são coisas muito complexas. Poucos leram e estudaram a História da Sexualidade, de Michel Foucault. O sexo é uma bomba. Daí a importância que eu dou aos freios que as religiões botam nas pessoas, senão o descontrole pega mesmo.


    Concluindo, não sei se o Lasier deu mesmo na sua esposa. Custo a crer que sim. Mas, afinal, ninguém sabe e quando o assunto envolve um casal, a coisa é tão complicada. Os desejos e a volúpia conduzem a gente por tantos vieses, tantos labirintos. 

    É claro que ninguém apoia a violência pura e simples contra uma mulher, contra um idoso, contra uma criança, isto é outro debate. Aí a lei deve mesmo ser implacável contra o agressor ou a agressora.

    Os tempos mudam. Os costumes mudam. No Brasil, um grande teórico, um grande nome da nossa dramaturgia, um dos nossos maiores escritores, Nelson Rodrigues,  citou a máxima que faz escola até hoje: "não é toda a mulher que gosta da apanhar, só as normais". 

    Sabe-se lá ao que ele estava se referindo. O sexo romântico, pacífico, papai mamãe, é como um bem de consumo de utilidade durável. Tem prazo certo para terminar. Isto até as pedras sabem. 

    Difícil mesmo é entabular um debate sério sobre sexualidade, por todos seus vieses, como fez Foucault, corajosamente. E supletivamente, algumas versões cinematográficas, como Esposamante, Um Amor de Shuan, Dom Juan de Marco, Casanova (aquela história fantástica que ele depois de conquistar todas as mulheres que desejou, encanta-se por uma linda moça e tem um crise ao descobrir que ela transava com velhinho, feeeeeiiiio).


    E temos no Brasil, respeitosamente, Bonitinha, mas Ordinária ... mais uma vez Nelson Rodrigues, que consagrou Lucélia Santos num papel incomparável. O filme é disponível no youtube.

    Por fim, Chico Buarque legou-nos uma música sensacional, ATRÁS DA PORTA, que reflete um pouco da condição humana acerca das manifestações do amor, que ninguém tem coragem de tocar:

    (...)

    Dei pra maldizer o nosso lar
    Pra sujar teu nome, te humilhar
    E me vingar a qualquer preço
    Te adorando pelo avesso
    Pra mostrar que inda sou tua

    Só pra provar que inda sou tua



    E assim vamos indo. Uma crônica divertida para quebrar a sisudez da realidade massante e cruel de nossas vidas. É necessário a arte para não morrermos afogados na realidade. 






    0 0

    A delicadeza do momento requer orações. O Professor Chico Gorski, um ser humano de uma bondade rara, um grande batalhador, está a frente de nossa URI, sofreu um princípio de AVC. 

    Oremos e rezemos por ele e por sua recuperação.

    Entretanto, nem mesmo sua doença, segura o debate sobre o processo sucessório na URI.

    Desta vez teremos duas chapas e com construções complexas. 

    Marcon, concorre a direção-geral. É tido como petista. As informações que colho é o que todos sabem nos bastidores.

    Michele Noal é candidata a sucessão de Chico Gorski, apoiada por este. Só que a Professora, discreta e talentosa, parece alinhar-se mais com Dilma e Lula, embora ela e Marcon pensem diferente a questão da universidade, ambos são alinhados, no plano macro, com a visão petista sobre universidade ... é minha impressão. 

    Dona Aida, fora da Universidade, com Guilherme Bonotto e seu grupo, devem ir de Marcon. Já Marcon, conta com a Ane Marjorie Sangoi Frozza, da Administração e também a Tutti, ex-esposa de Pedro Pacheco. Falam que o Vilson, setor de pessoal, deverá ser o financeiro de Marcon, no lugar de Padilha, eis que se trata de uma liderança muito forte no meio dos servidores.

    Adriane Damian tem peso. Será fiel da balança. É muito ligada a Michele. Adriane é filiada ao PP. Michele também conta com o apoio da professora Rosângela Montagner, sabidamente uma pessoa de esquerda e muito influente na universidade. Munaretto, que é PP, deverá o coordenador do Direito. E vai de Michele, assim como João Érico. 

    Chico Gorski, é claro, fecha com Michele...é um sincretismo ideológico muito estranho. 

    A questão toda é que Tiago e o staff pepista não ficarão indiferentes. Fecham e não fecham com Michele. É uma situação confusa para a cabeça dos pepistas pragmáticos. O staff secreto que governa Santiago na conjunção URI & Executivo Municipal confia em Chico, mas sabe que com Michele o jogo será diferente. Ela pode representar a quebra de um elo. É muito autônoma e não será tutelada, ainda mais com a influência de Montagner, que é muito grande, e é oposição aberta ao PP local. 

    Marcon é fora dos esquemas. É independente. Não seria tutelado pelo staff do PP. Raramente, ganhará o apoio do Partido, mas é ultra-bem informado, sabe tudo, é uma águia. Um perigo para os interesses de Tiago Gorski e Júlio Ruivo. 

    Na real, na real, o grupo pepista está numa encruzilhada. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Nenhum dos candidatos a direção-geral passa certeza da manutenção do ghost-government. 

    Já o movimento estudantil, estará nas mãos da direita liberal, com Fernando Oliveira, que deve assumir o controle do DEM em Santiago e já recebeu um convite de ONIX para concorrer a deputado estadual. Ao meu ver, Fernando não fecha com nenhum dos grupos devido sua ideologia. Não sei se será pragmático ao ponto de fechar com Michele e Montagner. Sinceramente não sei. Com Marcon, acho que ele não fecha. E sua liderança é bem expressiva. E os estudantes votam. 

    Na noite passada houve um jantar com alguns iluminatis, dois membros dos 9 pontas, nonagramistas (eneagramistas), e luciferiamos regionais. São membros destas sociedades ultra-secretas e o assunto da sucessão da URI esteve em pauta. Como eles têm braços invisíveis infiltrados dentro da maçonaria e rosacruzes sabem bem o que está acontecendo. Também para eles e sua política de controle a situação está confusa. 

    Resumo da ópera. O PP não sabe para que lado vai, com grau de certeza. O movimento estudantil, que não é PP (oficial) também está incerto. As organizações ultra-secretas, analisam o quadro e não sabem que rumo tomar ... a maçonaria, embora apoie Munaretto no Direito e têm simpatia por Adriane Damian, está em compasso de espera. Os rosacruzes, é certo que vão de Marcon. 

    Perigo mesmo é Adriane fechar com Marcon e rachar o direito. É improvável, mas não é impossível. Ela, eu imagino que leve o movimento estudantil e o grupo de Fernando. A maçonaria ficaria deste lado, por exclusão, e também a ação das sociedades ultra-secretas locais, até os nonagramistas e os luciferianos, acabariam todos se alinhando e articulando suas influências ghosts ... e que não são poucas. Quem conhece um pouco do seu modo de agir sabe bem disso. 




    0 0
  • 03/31/17--10:29: Agora a cobra vai fumar
  • Amigas e amigos!

    Estou espaçando minhas postagens para tornar meu blog mais reflexivo.

    Caso  alguém não queira mais receber minhas Newsletters, avise-me sem nenhum
    constrangimento.

    E que venha Abril, com seus sóis de outono.

    A propósito, Nenito e eu compusemos uma música com esse nome e que se encontra  na margem do meu blog. É só acessar a faixa 4.

    Abraços a todos


    RUY GESSINGER

    http://ruygessinger.blogspot.com.br
    /


    ---------------------

    NOTA DO BLOGUEIRO

    Decisão brilhante, muito brilhante. É tudo que precisamos na blogosfera do Estado.

    0 0
  • 03/31/17--15:45: Notificações
  • Altíssimas notificações estão por acontecer envolvendo amigos.

    0 0


    Certa vez, no Hotel do Batista, a Nina disse que gostaria de comer umas tâmaras antes de nós sair.

    Eu, tolo, pensei comigo: que guria esperta, já descobriu até tâmaras. E me falou tudo com uma convicção incrível. 


    Como hoje é a noite do peixe, desci até o restaurante. Jantei, tomei uma limoneta e fique na sala de espera. Servi chá de maçã e falei na importância de manterem tâmaras para os clientes tomarem com café.

    Ai veio a reposta: mas isto é laranja seca, não são tâmaras. 

    Aí eu fiquei com cara de bobo. Todas as noites comia laranjas secas, excelentes, por sinal, mas pensando estar comendo tâmaras.

    De onde a Nina tirou isto eu não sei, só sei que eu cai na história da tâmaras. 

    É claro, o Batista é tudo de bom que existe em Santiago, organização exemplar, qualidade, eficiência. Atendimento VIP. Nestas alturas pouca diferença faz,  vou continuar comendo laranja seca de doce pensando que são tâmaras. 



    E viva a Nina, não sei de onde esta guria tira tanta criatividade. 

    Estou aqui na fazenda de um amigo, daqui um pouco pego ela para curtir sua cidade e sua gente. Mas vou levá-la almoçar no Batista e quero que ela coma as tâmaras ... quer dizer, laranjas secas com açúcar que ela me aplicou como sendo tâmaras. 

      

    0 0

    Há dias corre uma notícia em diversos blogs da capital, de Uruguaiana e outros meio de comunicação, sobre uma fazenda em Jaguari, que pertenceria a um alto executivo da OI juntamente com Lulinha Filho, filho do ex-presidente Lula. 

    O sócio realmente é filho do senhor ODON SILVEIRA e compraram a parte da fazenda que pertenceu ao Dr. Clóvis Silveira. 

    É tudo cinematográfico e a EMBRAPA de Bagé deu o suporte para o investimento milionário e que surpreende a região. 

    REALMENTE a versão é verdadeira. 

    Falei com uma cabanheira que vem a ser parente desse executivo da OI e sócio de LULINHA. 

    O CASO está nebuloso demais, mas a coisa tá andando na PF, que já concluiu que não é lenda a versão e, sim, a mais pura verdade. 

    Jaguari entrará para o mapa por um outro viés. Muitos na cidade, que sabem de tudo, se calam. Outros, que sabem e querem ver o circo pegar fogo, abrem a boca. 

    Pelo sim, pelo não, o assunto tomou conta da cidade de Jaguari. E tem mais coisas no meio ... meu Deus, coisas cabeludas. Nos jantares com Lulinha, que vinha de helicóptero, tem muita gente legal. 

    Clique nos links e leia muito mais:

    http://imprensalivrers.blogspot.com.br/2017/03/movimentacoes-suspeitas-no-espaco-aereo.html




    http://imprensalivrers.blogspot.com.br/2017/03/lulinha-e-seus-segredos-na-grande.html?m=1





    0 0

    Como eu já comecei a comprar suas roupas de inverno, acertei em cheio com esta japona. Ela adorou . A Nina estava um amor. Abraçou-me e veio sorrindo o tempo todo; quando ela fica feliz ela morde a gente. Pobre do meu braço. Combinamos almoço no Batista. A Noite quer ir numa pizzaria e ficou triste porque a bela e a fera não está em cartaz. A paixão pelo Ruy (Dr. Ruy Gessinger) segue em alta. "Eu vou ligar para o Ruy e marcar um churrasco de carne do Uruguai". E o Ruy dá conversa, já estão com um churrasco marcado. Quando nós estávamos na praia, no verão, o Dr. Ruy fez um churrasco para todos nós e propagandeou a carne do Uruguai. Realmente, muito muito macia e bem diferenciada. A Nina encantou-se e só quer comer carne do Uruguai agora. E ela conhece carne. 

    Experimentando a japona nova. É claro, para espera-lhe é ritual. Tenho que comprar leite. Caixinhas de suco, kinder-ovo, uma boneca (tem que ser uma por viagem) e hoje a tarde ela tem aulas de violão com a professora Darla Medeiros. 

    Comprando seu rancho com um carrinho de criança fazer compras. Nisso, o Rede Vivo acertou. 

    Parada obrigatória no Bar Unisltaldense. Sempre que a gente vem para Santiago a Nina não deixa passar a oportunidade: comer coxinhas do bar de Unistalda. Desde pequena ela se identificou com o pessoal e me dizia: quando passar por Unistalda vamos para no Bar de Manoel Viana. Hoje pela manhã não foi diferente. Comeu coxas com  pastel e suco. Quando fomos almoçar, estava sem fome.


older | 1 | .... | 214 | 215 | (Page 216) | 217 | 218 | .... | 247 | newer